segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Mazel Tov, Rabi Dellova!

Hoje o dia é mais que especial por ser aniversário do meu rabi amado Nardella Dellova, com quem aprendo todos os dias, seja com suas brachot em forma de poesia, de café, de vinho em alguma festa sábado a noite, ou através de depoimentos ou emails, ou por nossas conversas por telefone ou msn. Não importa o meio, brachot lançadas por rabi Dellova são mega brachot! ;)
Foi ele quem me ensinou a querer tornar-me 'Mashiach' e livrar-me do pó, da poeira, do cansaço e das preocupações, me ensinou a sempre me ocupar do que realmente importa e nunca me preocupar com nada, afinal... o que tenho a ver com a cebola no cu do peru? Sacaram o naipe do rabino? kkkkkkkkkk Bem assim, autêntico e visceral!
Me ensinou a ver melhor, amar melhor e tomar os cafés mais simples, por que estes são os melhores!
Quero viver muito e poder abençoá-lo todos os dias como o Eterno nos ensinou:

יְבָרֶכְךָ יְהוָה
וְיִשְׁמְרֶךָ יָאֵר יְהוָה פָּנָיו אֵלֶיךָ
וִיחֻנֶּךָּיִשָּׂא יְהוָה פָּנָיו אֵלֶיךָ
וְיָשֵׂם לְךָ שָׁלוֹם
Yevarehechá Ad-nai veyishmerechá
Ya'er Ad-nai panav eleicha vishuneka
Yissa Ad-nai panav eleiha veyasem lecha Shalom!!!

E não há, certamente, melhor presente pro rabino, que compartilhar com vocês aqui no blog alguns trechos de seu livro - A Morte do Poeta nos Penhascos e Outros Monólogos:

"...Por isso mesmo aquelas mulheres amam, mas, esta, ama e abençoa, porque o seu amor é uma unção, um nascer, um curar, um colorir, um florir. Com aquelas se buscam flores e com esta planta-se um jardim!"

"... porque há mulheres, cujo rosto ilumina! São mulheres que se reconhecem no tempo de um instante, que permanecem para sempre. São mulheres que enfraquecem querubins... Meu amor tem as faces do vento que nasce do encontro de calores e frios, e sopram brisas e tempestades, e os seus lábios me levam para ontem e para sempre... meu amor tem as faces do vento que nasce do encontro da vida, do sol e da chuva..."

"Há pessoas feitas de pedra e pó! ESTAS OCUPAM OS ESGOTOS....Há pessoas feitas de carne e pó! ESTAS OCUPAM A SUPERFÍCIE...Há pessoas feitas de carne e alma! ESTAS OCUPAM A SUPERFÍCIE E O MAR...Há pessoas feitas de carne, alma, espírito! ESTAS OCUPAM A SUPERFÍCIE, O MAR E AS FLORESTAS...Há pessoas feitas de carne, alma, espírito e sociabilidade! ESTAS SÃO AS PESSOAS NORMAIS QUE OCUPAM TODA A TERRA! Mas, HÁ PESSOAS que são feitas de carne, alma, espírito, sociabilidade, e uma ALMA ADICIONAL, isto é, POESIA...ESTAS SÃO AS PESSOAS NORMAIS QUE OCUPAM, A TERRA E O KOSMOS!!!"

"...Por que portas se podem entrar? Por todas as que a natureza deu às pessoas, pois elas se vêem, eles se ouvem, elas se cheiram,elas se beijam e, finalmente, elas se tocam num toque suave e inconfundível. E não se despreze nenhuma destas portas sob pena de morte, porque cada uma, e todas elas, conduzem à intimidade, ao mais profundo, ao centro da pessoa amada, enfim, ao que ela é – e ninguém sabe quem ela é, senão quem ama, entra e ilumina..."
"...Essa mulher que transita entre corredores da biblioteca, não como quem foge do enfrentamento de cada página, mas como quem volta agradecendo silenciosamente pelos mundos descobertos, porque ali ela reencontra os sábios e os poetas que iluminaram seus sonhos, abriram seus poros e apontaram uma direção. Ela sabe de onde veio e onde quer estar! Ela olha, se veste, se penteia, caminha e ela dança, sabendo que... seus olhos e os lábios de sua boca se dilatam ..., porque esse é o seu corpo e sua alma. Então, ela se percebe superior, como quem deixa relacionamentos opressivos sob os pés... vai, e voa, como quem deixa homens idiotas cultuando seus próprios órgãos, como quem conduz o mundo... pelo sussurro...Por isso mesmo, plena da virtude feminina e da experiência dialógica, da delícia poética, fortalecida pelas vozes e páginas iluminadas, completa dos sentidos descobertos, essa mulher, absoluta, abre suas asas ao sol...."


Um brinde à vida, rabi! L'Chaim! Mazel Tov!!!

*Brachot: bênçãos / L'Chaim: à vida / Mazel Tov: Boa sorte!

*******

© Pietro Nardella-Dellova é Escritor e Poeta. Professor de Direito e Arte Literária em graduação e pós-graduação. Mestre em Direito pela USP e Mestre em CRe pela PUC/SP. Pós-graduado em Direito Civil e em Literatura. Formado em Direito e em Filosofia. Mestre na Sinagoga Scuola. Membro da UBE – União B. dos Escritores. Autor dos livros AMO (89), NO PEITO (89), ADSUM (92), FIO DE ARIADNE (org/tex), A PALAVRA COMO CONSTRUÇÃO DO SAGRADO (98), A CRISE SACRIFICIAL DO DIREITO (2001) e, agora,
do novo livro A MORTE DO POETA NOS PENHASCOS E OUTROS MONÓLOGOS. Ed. Scortecci, 2009, 312 pág (disponível pela Livraria Cultura).
Outros textos, contato e informações vejam em seu Blog Café & Direito:
http://nardelladellova.blogspot.com e pelo e-mail professordellova@libero.it

Um comentário:

  1. Mille (tem que ser com dois "l", porque você vale "mil"!!!)
    Obrigado,querida, por esta manifestação de apreço e carinho e, principalmente, pelas "Brachot".
    Estou aqui, entre risos sem fim, emoção e lágrimas!!!
    Beijos, com Brachot pra você para todos!!!!

    ...e deixa eu continuar rindo e chorando aqui.....

    Shalom L'chá!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails